Fala pessoal… Essa semana vocês puderam ver aqui no blog um pouco mais sobre a minha viagem a New York, porém o primeiro post foi de uma forma generalizada, falando sobre o roteiro, pontos turísticos que visitamos e um pouco do planejamento. Quem ainda não viu, pode conferir clicando aqui.

Teve muito passeio, New York Fashion Week, muitos looks, muitas fotos, mas também teve um pouco de vida noturna (woow), somos filhos de Deus e merecemos aproveitar também, hahaha! E é sobre esse assunto que vou falar com vocês nesse post. Quero mostrar os restaurantes, rooftops e baladas que conheci durante a viagem, e que acho que vale muito a pena conhecer quando estiver em NY.

Como falei no primeiro post, no horário de almoço, aptávamos pelos restaurantes self service, por ser mais pratico e rápido, mas teve dois dias em que estávamos no Soho, bairro de Manhattan que tem uma história muito bacana de “regeneração do centro da cidade“, onde prédios super antigos e até históricos, hoje abrigam galerias de arte, boutiques de moda, lojas de luxo nacionais e internacionais e restaurantes, o que tornou essa região super COOL, local também onde muitas celebridades possuem seus lofts.

Mas voltando ao almoço, nessas duas ocasiões optamos por restaurantes, o primeiro deles o Bar Pitti, um restaurante super charmoso de culinária italiana, e famoso por receber muitas celebridades como Gisele Bundchen, Alessandra Ambrosio, Leonardo Di Caprio, Beyoncé, Kanye West, entre muitos outros. O ambiente é muito agradável, com espaço interno e também muitas mesas na calçada. Você até se sente com um pé na Itália, pois até os garçons são italiano, e o inglês deles tem um sotaque que dificulta a compreensão. Começamos pelo couvert, que é o famoso pão italiano com azeite de oliva, e em seguida dividimos dois pratos, uma Burrata e um Penne Strascicate, ambos deliciosos!

Na outra ocasião, num sábado, onde as ruas estavam LOTADAS, almoçamos no Balthazar, que tem culinária típica Francesa. O restaurante estava cheio, mas a rotatividade das mesas é bem rápida. Dizem ser importante fazer reserva, mas principalmente quando for à noite, que também é muito disputado. Durante a espera, percebemos que em todas as mesas (de 2, 3, 5 ou mais pessoas) os pratos eram muito variados, mas sempre tinha um Avocado Toast. Sinal que é muito famoso, então pedimos um, que novamente dividimos , além de um Steak Frites. Pra finalizar, um Profiteroles (já que o almoço foi leve… hahaha).

 

Durante a noite, New York é muito famosa pelos Rooftops espalhados pela cidade, e nós conhecemos três deles, muito famosos. O primeiro foi o 230 Fifth, que fica na 5th Avenue, no topo de um prédio e tem uma das vistas mais bonitas da cidade com o Empire State ao fundo, SURREAL! Por isso é um local muito famoso entre os moradores e turistas. O lugar é perfeito para pegar um fim de tarde e seguir “noite à dentro”, pois no andar de baixo fica a área fechada, porém toda de vidro, onde mais tarde, acontece a balada. Além dos drinks e bebidas, também tem pratos e petiscos deliciosos.

Outro Rooftop que gostamos demais foi o Catch, que fica no Meetpacking Disctrict, bairro semelhante ao Soho, une o antigo ao novo com lugares e lojas super descoladas. Esse é um dos Rooftops que são restaurante e balada, e partir de determinando horário, o cardápio muda, chamado de Late Night, quando a cozinha fecha e os drinks oferecidos são mais voltados para a festa mesmo. A ambientação muda, o som aumenta e a balda começa. Lá pude provar o melhor Aperol Spritz até hoje, com uma mistura de hibisco deliciosa. Além da vista do bairro, que tem um charme único. Tem uma dica importante sobre esse tipo de balada no fim do post!

O último e também super famoso é o Gansevoort, também no Meetpacking District, no topo do Gansevoort Hotel. Na noite em que fomos a festa não estava bombando muito, mas ouvimos falar muito bem de lá e é um ótimo lugar para chegar cedo, durante o entardecer, por conta da piscina e o por do sol. O hotel é super moderno, com muito vidro na estrutura. Esse é um dos lugares difíceis de entrar.

Juro que o post já está acabando!!

Partindo para os restaurantes, na noite em que passeamos pela Times, resolvemos jantar no Olive Garden, que fica na Times mesmo. O lugar é famoso por receber um grande numero de pessoas que saem das peças da Brodway e vão para lá beber e jantar. Sao 3 andares de restaurante, todos com vista panorâmica na região. De culinária típica Italiana, o Olive é conhecido pelos pratos deliciosos e muito bem servidos. A salada de entrada, acompanhada de pães, é super famosa e grande, o que dificulta terminar o prato principal, que foi um parmigiana e um steak com pasta alfredo.

Outro restaurante, também super badalado, com pessoas bonitas e bem vestidas, e também no Meetpacking District, é o The Standard Grill, que fica aos pés do The Standard Hotel. Super requintado, com vários espaços específicos, para festas e eventos fechados e área externa só para happy hour, foi um dos restaurantes que nos conquistou pela fachada. E óbvio que depois, pelos pratos também. Como entrada pedimos polvo, e logo após truta e hambúrguer com fritas (também dividimos). Esse é um dos restaurantes que “tem que ir”, seja para jantar, almoçar, ou só beber alguns drinks e chopps.

Para fechar a viagem, deixamos para a última noite os mais conhecido de todos, o TAO. Um restaurante de culinária asiática famoso por receber também muitas celebridades como a família Kardashian, Rihanna, entre outras. A decoração do ambiente é incrível e surreal, assim como os pratos. O cardápio é bem complexo e difícil de entender então pedimos os pratos mais conhecidos da casa. A entrada vocês vão me desculpar mas não lembro o nome, era alguma coisa com lagosta, em seguida truta e um camarão empanado com côco e molho agridoce que me deu agua na boca só de lembrar. Já que tínhamos “chutado o balde” na comida, a sobremesa foi o famoso biscoitão da sorte, recheado com creme de baunilha e creme de chocolate. O melhor restaurante de todos, e mais caro também. lá a conta foi bem salgada, mas valeu a pena!!!

 

E claro que ir para os Estado Unidos e não comer um lanche do Shake Shack, é a mesma coisa que não ir. Então aí está a prova do crime.

Dicas e Curiosidades

Sempre que você for a algum restaurante em NY, vão perguntar se você aceita água, e aí tem um detalhe. Sparkling water, ok, água com gás, e aí tem a Still Water e Regular Water, ambas sem gás, mas se você pedir a Regular, é provável que venha água da torneira e não mineral, o que não é muito problema, pois dizem que a água de lá da pra beber sem medo.

Em NY, em todos os lugares você tem que dar a famosa Tip, que é gorjeta. Diferente daqui, que vem a porcentagem de serviço na comanda. E se você não der gorjeta, ou der pouca, prepare-se para no mínimo uma “cara feia”.

As baladas mais Hypadas de NY não são tão fáceis de entrar. Se você estiver acompanhado de mulher facilita, mas se estiver sozinho é bem difícil, muitas vezes nem pagando. Outra “regra” lá é comprar uma garrafa de bebida e mesa para “ficar”. Mas caso o lugar seja do tipo restaurante e balada em seguida, como o Catch, uma dica é chegar para o jantar e ficar, depois é só aproveitar a noite.

 

Eu sei que o post ficou bem extenso, mas queria passar um pouco das sensações que senti nos lugares. E claro que estou falando sobre os lugares que gostamos bastante, então podem ir sem medo!

Curtiram o post?

Deixem mais dicas e curiosidades que vocês sabem sobre New York aqui nos comentários.

Fui…

Share: