Lino Villaventura encerrou os desfiles do segundo dia, e nessa temporada apresentou uma coleção menos teatral, talvez uma das mais reais da história da grife.

A proposta mais próxima ao grunge com modelagem oversized, shapes esportivos, alfaiataria desconstruída e mix de tecidos com sobreposições assimétricas e volumosas foram o grande destaque. A marca partiu para o lado mais Dark das ruas com os tons pretos e padronagens de xadrez ou estampas que lembravam manchas.

Créditos das fotos: Marcelo Soubhia / FOTOSITE

Logo logo tem mais!

 

Share: